SMP Vicentina, Japeri – RJ 2016


“Temos razões para louvar a Deus por isto: pela bondade e misericórdia de Deus, existem entre nós membros enfermos e moribundos que transformam sua dor e sofrimento em um palco de paciência, em que todas as suas virtudes brilham de forma radiante. ” (SV XI, 73).

Depois de muitas edições nas ‘Minas Gerais’, as Santas Missões Populares Vicentinas voltaram ao Estado do Rio, acontecendo de 16 a 30 de janeiro de 2016 na cidade de Japeri, na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, pertencente a Diocese de Nova Iguaçu (RJ), e nas demais comunidades da Paróquia: Santo Antônio, Nossa Senhora do Rosário Santa/Águeda, Santa Edwiges/Francisco e São José, todas na sede do município, porém estendendo-se à Comunidade de Nossa Senhora Aparecida, instalada na zona rural. Uma vez em Japeri foi possível constatar as alegrias e sofrimentos anunciados na carta convite à essa missão. Ver aqui carta na integra!

Além da Congregação da Missão, participaram da missão membros dos Regionais da Família Vicentinas assessorados pela PBCM vindos de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro, entre eles: Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, Missionários Leigos Vicentinos e Sociedade de São Vicente de Paulo.
A acolhida dos missionários se deu na Matriz – comunidade Nossa Senhora da Conceição. O forte das missões foram as visitas domiciliares, somadas por encontros com crianças, jovens e casais, bem como por formações. O bispo Dom Luciano, esteve na abertura e na avaliação final. A Congregação da Missão se fez presente pelos padres: Alexandre Franco, Agnaldo de Paula, Denilson Mathias, Francisco Gomes, José Valdo e Pedro Lima, e dos seminaristas da teologia (06) da filosofia (05) e um vocacionado. O encerramento aconteceu na Comunidade São José, com uma eucaristia e uma noite cultural, onde o Pe. Agnaldo colocou que “missão não é só fazer uma tarefa, para isso se usaria uma técnica, dinheiro... missão é ser, ser missionário em todo momento, é a vida mesma e se dá no dia a dia.” Agradecido, o Pároco, Pe. Paulo Machado, referiu ao período das SMP Vicentinas, parafraseando Mateus 11: “vejam: os cegos veem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; ...e aos pobres é anunciado o Evangelho,” rematando que as missões impulsionaram à Paroquia olhar para novos horizontes.
As missões foram um tempo privilegiado de fortalecimento da comunidade local, da presença viva dos agentes pastorais nas ruas e juntos às famílias. A visita da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, que coincidentemente se deu durante as missões, foi um diferencial para os missionários que levavam a imagem da Mãe até os doentes e idosos alegrando, iluminando e distribuindo as graças do Pai por meio da ilustre visita. Todo o trabalho foi ministrado sobre a confiança da segura benção de Deus e da proteção da Santíssima Virgem, que tornaram possível, também naquele lugar, a “Pequena Companhia” a realização do seu fim: seguir a Cristo evangelizador dos pobres.

Comentários