“IDE POR TODO O MUNDO...”



Apresento a seguir, detalhes de lugares onde Deus concedeu-me a graça de estar. Agradeço a Ele pela oportunidade, bem como, a minha família, amigos e a JMV/Igreja que foram cruciais para que eu pudesse realizar tal caminhada.      

Particularmente, sou um apaixonado por viagens (não é por acaso que, em se tratando de continentes, apenas ainda não estive na Oceania), mas o melhor de cada viagem não é o lugar em si, os pontos turísticos ou até mesmo os monumentos históricos, mais as pessoas que encontramos nela, o(a)s amigo(a)s que conseguimos fazer, o compartilhar a fé, vivencias e experiências com pessoas, que temos o prazer de conhecer.

A divulgação desse caminhar não pretende ser um mero exibicionismo ou algo parecido, mais uma forma de agradecer as situações, lugares e pessoas com quem tive a honra de poder dividir inesquecíveis momentos de minha vida. A todas elas o meu muito obrigado e o desejo de revê-los o quanto antes.   



AMÉRICAS...

Brasil - da árvore de pau-brasil, do tupi “ibirapitanga”, abundante na Mata Atlântica no período colonial português e extraída até quase a extinção. O pau-brasil foi assim chamado por causa da sua madeira avermelhada, da cor de brasa (brasil em português arcaico).

Esse é o Meu País, que por ser um pais continental publicarei, em breve, um post exclusivo, para ele.  


República Dominicana derivado de Santo Domingo, a principal cidade e capital do país, que recebeu seu nome em homenagem ao santo espanhol São Domingo de Gusmão, o fundador da Ordem Dominicana.

Em 2008 (julho/agosto) tive a oportunidade de estar por mais de três semanas em Santo Domingo em uma Semana de Formação e em duas de Missão no bairro “Los Minas”, foi nesse VI Encontro Missionário Latino Americano - EMLA que tive meu primeiro contato direto com a dimensão internacional da JMV (Américas, Espanha e Eslováquia). Ademais da formação, missão, pessoas, praias caribenhas oferecidas pelo País, gostei muito da peregrinação que fizemos a Higuey, onde se encontra a Basílica de La Virgen de Altagracia - um templo extraordinário, moderno e lindo. Toda a experiência dividi com Gorette Timbó, que comigo formou a delegação do Brasil no Encontro. Na ida e na volta tivemos conexão em Panamá, onde podemos “beber” também, um pouco do lugar.



EUROPA…

Espanha - do fenício “ʾÎ-šəpānîm”, que significa “ilha dos hiraxes”. Os colonizadores fenícios encontraram coelhos em abundância e as confundiram com os hiraxes (pequeno mamífero do norte da África), nomeando a terra no dialeto canaanita. Os romanos, que falavam latim, adaptaram o nome para “Hispania”, do qual derivam os nomes nas línguas ocidentais.

Em 25 de agosto de 2009, desembarcava em Madrid - capital de Espanha, onde vivi até 27 de setembro de 2012, servindo como Voluntário Internacional da JMV, aprendendo o Espanhol e muito sobre a cultura local. Na Comunidade de Madrid tive a alegria de visitar as cidades de Guadalajara, El Escorial, Aranjuez, Mazanares, La Cabrera, Mirafores de la Sierra, Getafe e Leganés. A estância no país ainda me oportunizou estar em Toledo; Segovia; Ávila; Zamora; Salamanca; Tordesilhas(Valladolid); Murgia(Victoria): Leon; Siete Aguas(Valencia); Cádiz - La Línea de la Concepción, Rota, Benalup; Sarria, Portomarín e Palas de Rei (Lugo); Santiago de Compostela – Arzua, Monte del Gozo e Finisterra; País Vasco - Bilbao e Baracaudo, San Sebastián – Loyola; Pamplona (Navarra); Zaragoza; Barcelona – Calafell e Alicante onde pude compartilhar com a JMV, amigos ou simplesmente descobrir o bonito de cada uma dessas lindas cidades que Deus me permitiu conhecer.


França - “terra dos francos”. Literalmente “terra dos homens livres”.

Em janeiro de 2010, participei com os representantes da Família Vicentina do Encontro Internacional da referida família na Casa Mãe das Filhas da Caridade em Paris. Ali tive a graça de rezar na Capela da Rua du Bac. Em Paris fiquei hospedado na casa da Congregação da Missão – CM, onde descansa o corpo do fundador São Vicente de Paulo. Posteriormente estive na casa onde o Santo nasceu localizada em Berceau, no sul do País, ali tive uma missa exclusiva para mim.


Portugal - o nome deriva de Portus e Calem o nome latino das duas localidades na foz do Douro, atualmente Porto e Vila Nova de Gaia, que dariam também o nome ao Condado Portucalense, o predecessor do Reino de Portugal.

Em agosto de 2010, representantes da JMV Mundo, nos reunimos em Lisboa, para a III Assembleia Geral da Associação. Oportunamente conhecemos a Cova da Iria – cidade natal dos três videntes de Nossa Senhora do Rosário, o Santuário de Fátima e Mafra, por seus parques e palácio. Em Lisboa, também desfrutamos da cidade, praia, rio Tajo e magníficas pessoas.  


República Tcheca - de “Cechové” (“Ceši”, “tchecos”), o nome de uma das tribos eslavas no território do país, que dominou e subjugou as outras tribos eslavas por volta do ano 900. A origem do nome da tribo é desconhecida. De acordo com uma lenda, o nome vem do líder “Cech”, derivando este obscuramente de “Ceta”, que significa “unidade militar”.

Em janeiro de 2011 fui à Praga com o fim de fazer companhia ao Padre que traria seu carro de Eslováquia a Espanha. Na Capital do País dormi na casa de amigos, no dia seguinte visitei os pontos mais importantes da Cidade, acompanhado de um amigo eslovaco - passamos todo o dia nos comunicando somente por mímica, já que ele só falava línguas eslavas e eu latinas, - dentre outras, visitamos uma exposição sobre o Brasil no Palácio Real. De caminho à Espanha, descansamos em Plzeň, onde fomos bem recebidos por um pároco local, que nos falou das atividades da sua paróquia e também da dificuldade de trabalhar em um dos países mais ateus do mundo. Foi um recorrido de quase três dias de viagem; cruzamos toda a Alemanha, paramos em Luxemburgo Capital para jantar, seguimos por França e logo Espanha.


Itália - do latim “Italia”, nome que passou ao latim de uma fonte não latina. É provável que a etimologia do nome “Itália” esteja relacionada à palavra do grego antigo “italos” (touro), do proto-indo-europeu “*wet”.

Nas festas natalícias de 2011, viajei com amigos de trabalho a Roma, onde fomos recebidos no aeroporto local, pelo Superior Geral da Família Vicentina. Conheci a sede internacional da Congregação da Missão e as pessoas que ali trabalhavam. Conhecemos um pouco da Capital, que é um verdadeiro museu aberto, por seu valor arquitetônico, artístico e cultural. Visitamos o Vaticano, onde na Praça de São Pedro participamos do Ângelus com o Papa Bento XVI. Na Basílica de São Pedro, fiz uma confissão geral e conheci, entre outras, as estatuas de São Vicente e Santa Luisa. As Filhas da Caridade que trabalhavam no Vaticano nos levaram para conhecer partes exclusivas do lugar, tais como salas fechadas do Museu Vaticano, lugar onde se reúnem os Cardeais para os conclaves, a Capela Interna e Sacristia onde Joseph Ratzinger passou uma semana de retiro antes de assumir as atividades de seu papado, as desérticas e bastantes vigiadas ruas do Estado do Vaticano. Foi algo extraordinário.


Eslováquia - do eslavo “slav”, “eslavo”, termo derivado do eslavo para “glória”, ou “a palavra” ou “povo da água”.

O réveillon de 2011 para 2012 passei, com amigos, em Eslováquia. Foram seis dias de temperatura abaixo de zero. Voamos a Viena (Áustria), de onde fomos - de carro - a casa da CM em Bratislava, visitamos a cidade e nos detemos em um palácio que um Conde havia doado para uma congregação religiosa, onde tivemos missa, merenda e etc. No dia seguinte adentramos no país, passamos por Trenčín e nos dirigimos a Beluša onde conhecemos a família de ex-voluntária internacional da JMV e logo podemos descansar em Teplička, na casa dos pais do padre responsável por nós, que nos acolheram muito bem. Depois de conhecer o melhor da região, um companheiro e eu nos dirigimos à Púchov onde mora uma ex-namorada minha, revi seus familiares, que nos hospedaram. No dia seguinte fomos a Vysoké Tatry onde se encontra uma famosa montanha, símbolo do país. Ali chegando, almoçamos e fomos à pista de esqui. No translado de ida visitamos uma vila museu com igreja, casas típicas da região, um parque nevado e uma antiga estação de trem. De volta ao centro do País reencontramos o Padre e nos juntamos a JMV da província para celebrar o réveillon, com um encontro de animação e formação e, uma já tradicional eucaristia seguida por uma vigília de passagem de ano. Foi uma forma diferente de viver a festejada noite! O encontro seguiu por mais um dia e em dois de janeiro passamos por Nitra, para saudar Assessora Nacional da JMV, e voltamos a Madrid, via Viena.  


Reino Unido - o nome completo é “Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte”. Nome auto-explicativo. Ver Irlanda acima. Grã-Bretanha: de “pritani”, uma referência aos habitantes das ilhas que usavam pinturas no corpo e tatuagens. Inglaterra: deriva do nome em inglês antigo “Englaland”, literalmente, “a terra dos anglos”.

Em setembro de 2012, depois da missão no Secretariado Internacional da JMV, estive de férias por Europa, mas precisamente em Inglaterra e em Espanha. Em Londres permaneci por dois dias, pouco tempo para o que é a Metrópole, mais o bastante para visitar seus lugares mais emblemáticos, rever amigos e fazer novos, – algo essencialmente importante. Visitei também Gilbratar, cidade inglesa que está ao sul de Espanha; essa controla as águas do estreito de mesmo nome. Durante os três anos que estive em Madrid tinha o sonho de fazer o Caminho de Santiago, e graças a Deus o fiz para celebrar o fim de minha missão no País. Conclui esse período, com a visita aos santuários de Santo Inácio (Loyola), Virgem do Pillar (Zaragoza), Sagrada Família (Barcelona), Virgem Branca (Toledo), etc.


ÁFRICA E ÁSIA...

Moçambique - da Ilha de Moçambique. “Moçambique” deve derivar do nome de um governante árabe anterior à conquista portuguesa, o xeique Mussa Ben Mbiki, que em português soa “moçambique”.

Nas duas últimas semanas de julho e nas cinco, agosto de 2012, tive a oportunidade de realizar uma missão de verão, junto a Família Vicentina em Nacala-Porto, Moçambique (África), onde pude me dedicar entre outras atividades à educação de crianças Macuas e ao Anuncio da Boa Nova de Cristo nas Comunidades Eclesiais de Base da Paróquia de São João Batista. No País conheci também as cidades de Nampula, Nacala Velha, Nacuxa, Nacaroa e Ilha de Moçambique. A viagem de Madrid a Moçambique, e vice-versa somaram o período de dois dias; tempo que aproveitei para conhecer um pouco de Dubai (Emirados Árabes Unidos - Oriente Médio/Ásia), Dar Es Salaam (Tanzânia) e Johanesburgo (África do Sul). Foi uma experiência inesquecível que vale apenas repetir. 

Comentários